domingo, 27 de janeiro de 2013

• Kemenangan*

Vitórias… Que são vitórias senão estados efémeros de euforia?

Eu vou é renunciar a sonhar com alcançar vitórias. Nenhuma vitória nos pode assegurar mesmo recuperar a felicidade eterna do paraíso perdido de Adão e Eva. Que seria a conquista civilizacional suprema. E por nada menos do que isto vale a pena lutar. E para além do mais, já todas as utopias tiveram os seus seguidores. 
______________________________________________________

* Vitórias, em malaio.

5 comentários:

Kristy ઇઉ disse...

As vezes o mais complicado é mesmo renunciar, o medo de deixar algo para trás que não sabemos ao certo qual o impacto que terá na nossa vida e na nossa felicidade.

No fundo a renuncia implica sempre uma mudança e uma escolha... ha que arriscar e deixar para trás aquilo que não faz feliz e que não nos deixa seguir em frente.

Beijinho :)

M.Eugénia Vilela disse...

A renuncia é mesmo o mais difícil.

Giuseppe Pietrini disse...

Kristy, renunciar será complicado porque implica esquecer. Esquecer sorrisos, gestos, momentos... Eu nunca compreenderei quem consegue desapegar-se porque eu não consigo. Mas tem de ser...

Giuseppe Pietrini disse...

Maria Eugénia Vilela, a renuncia é o mais difícil, sim. Será até impossível, talvez... mas não há outro caminho, por vezes.

Giuseppe Pietrini disse...

Obrigado pelo vosso contributo, Kristy e Maria Eugénia.

Um jinho a ambas, meus anjos. :-)